Sindace

Sindicato das Agencias de Navegação Marítima e dos Operadores Portuários do Estado do Ceará

Porto de Santos pode ser 2ª maior privatização do governo Bolsonaro após Eletrobras

Com a conversão da gestão estatal em uma operação 100% privada , o que se pretende é fazer frente à necessidade bilionária de investimentos que precisam ancorar nos terminais de Santos, para suportar seu crescimento que já está
contratado.

O leilão do porto de Santos prevê exigências que terão de ser atendidas por seu novo gestor e que alcançam a cifra de R$ 18,5 bilhões em projetos de melhorias,ampliação e manutenção. Paralelamente a esses compromissos obrigatórios, o interessado precisa apresentar o lance pela outorga do porto, critério que teve seuvalor inicial fixado em R$ 1,38 bilhão.

Esse é o parâmetro de desempate. Vencerá o
leilão aquele que apresentar a maior proposta de outorga, taxa paga ao governo federal pela administração do terminal.


Com a licitação , a atual gestora do porto , a estatal Santos Port Authority (SPA, antiga Codesp), será integralmente privatizada e não retornará para a União.

Já asáreas físicas do porto serão concedidas a esta mesma empresa pelo prazo de 35 anos, sem prorrogação.

Fonte: jornalportuario

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.